Tags

, , , , , ,

Hoje é o meu primeiro post e como todos da equipe, estou um pouco ansiosa e nervosa com a minha estréia aqui.

Vou falar sobre arroz e suas variedades e dar uma força pra quem quer sair do trivial e arriscar um arroz diferente. O branco é de longe o mais consumido, porém, não é o mais saudável e algumas alternativas são os tipos com películas marrom, vermelha ou preta.

A hora de escolher o arroz é muito importante. Procure os grãos longos ou médios e que estejam inteiros. Dê preferência aos translúcidos e evite os opacos, pois, depois de cozidos podem ficar empapados. Os grãos curtos são melhores para os risotos, existindo tipos específicos para este prato (arbóreo, carnaroli, vialone nano).

Quanto mais polido o arroz, maior é a perda de seus nutrientes. No caso do arroz branco, após a retirada da casca, ele passa por um processo chamado Brunição que retira uma parte da camada escura do grão chamada de farelo. Esse processo é repetido até que toda a camada de farelo seja retirada, tornando os grãos brancos. Já o arroz integral, passa pelo processo de Brunição de forma mais branda, retirando apenas camadas mais externas, sem separar o germe e o farelo, o que explica seu maior valor nutritivo.

Segue agora, uma lista com sete tipos de arroz e uma tabela com os principais tipos e seus valores nutricionais.

E pra quem se interessou, nos próximos posts a Junia irá mostrar como fazer o arroz integral e algumas receitas especiais utilizando o arroz selvagem, o basmati e o japonês. Qualquer dúvida é só consultar nossa especialista de plantão! =)

Arroz vermelho

Apesar de pouco conhecido no país, o arroz vermelho é altamente nutritivo e benéfico à saúde. Utilizado há muitos anos na China como medicamento natural, o grão foi trazido ao Brasil pelos portugueses e plantado no Maranhão e posteriormente radicado na Paraíba, onde faz parte da culinária local. Em sua composição encontra-se a monocolina (estatina natural), substância que pode auxiliar na redução do nível de colesterol ruim no sangue, aquele que pode causar infartos e derrames cerebrais.

Arroz parbolizado

O grão de arroz é constituído de casca, película, germe e endosperma. As vitaminas e sais minerais estão concentrados na película e germe. O endosperma contém basicamente amido. Devido ao processo de parbolização os grãos de arroz ficam mais compactos e as vitaminas e minerais penetram no seu interior.

Arroz basmati

Considerado o “príncipe dos arrozes”, de origem asiática, o basmati é uma variedade muito famosa por seu aroma e textura delicada, com sabor que remete às especiarias do oriente. Possui grãos longos que ficam ainda maiores depois de cozidos e exalam uma fragrância muito leve.

Arroz selvagem ou preto

O arroz selvagem conquistou admiradores em todo mundo por sua aparência, sabor e aroma exóticos. Durante o cozimento exala um aroma diferenciado que remete a nuances herbáceas. Indicado para elaboração de pratos requintados com carnes nobres e defumadas, o arroz selvagem também apresenta um excelente resultado quando utilizado no preparo de saladas, tornando-se ainda mais especial.

Arroz integral

Já não é novidade que o arroz integral é um cereal rico em fibras e que faz muito bem à saúde. Ele se destaca como um aliado da saúde do corpo e a novidade é que o grão ajuda o corpo a perder gordura abdominal. Quando bem cozido é bom ser ingerido por crianças, idosos e pessoas em recuperação, pois tem consistência macia, é de fácil digestão e fornece energia.

Arroz japonês

É a base da cozinha japonesa, bem como o arroz branco é para nós. Tem como característica o sabor adocicado e seu ponto mais úmido. Mais conhecido por meio do sushi, ele aguça muitos apreciadores aqui no país.

Arroz sete cereais ou sete grãos

Mistura de arroz integral e outros grãos. É nutritivo e rico em fibras. Não indicado para pessoas com intolerância a glúten.

Para maiores informações e curiosidade acesse: Terra de Arroz.

Referências: Terra do Arroz, Espaço Nutrição, M de Mulher.

Anúncios